portugal newsletter article 180x180 - Brasil: O mais importante activo dos vinhos portugueses lá fora?

Num ano especialmente interessante da história do vinho Português no Brasil, a Wine Intelligence olha à importância do posicionamento de Portugal no país, único num mundo onde as associações de valor acrescentado e qualidade são tipicamente do domínio de França, Itália e Espanha.

Para o geral dos mercados à volta do mundo, os vinhos Portugueses tendem a posicionar-se num nível abaixo de outras origens, nomeadamente de outras origens de vinho Europeu, o Old World. Tendencialmente, a ordem natural de posicionamento a partir da origem mais aspiracional começa com França, seguindo-se Itália e Espanha. Este top 3 é um verdadeiro ouro, prata e bronze da criação de valor acrescentado. É só depois que aparece Portugal, eternamente a discutir uma quarta posição com Alemanha e de certa forma a Áustria e a Grécia, em menor escala.

O Brasil é talvez a maior excepção a esta regra. Os consumidores Brasileiros associam os vinhos Portugueses a factores tão aspiracionais quanto aqueles que associam a Franceses e Italianos. O trio Portugal, França e Itália aparece num cluster destacado em relação a outras origens relevantes no mercado Brasileiro como Chile, Argentina, Espanha, e mesmo o Brasil, quando perguntamos aos consumidores. Portugal é também o segundo maior fornecedor externo de vinho no Brasil e em forte crescimento nos últimos anos, e em especial este ano, segundo os mais recentes dados da Ideal, o que torna o mercado Brasileiro profundamente importante para os vinhos Portugueses.

portugal newsletter chart - Brasil: O mais importante activo dos vinhos portugueses lá fora?

brazil chart 2 - Brasil: O mais importante activo dos vinhos portugueses lá fora?

Este posicionamento aspiracional, único no mundo, de que os vinhos portugueses gozam, é fruto de uma história comum, de muitas gerações migratórias – quer para um lado quer para o outro – mas também da história recente. O crescente número de turistas Brasileiros em Portugal e o excelente trabalho que as instituições e marcas portuguesas têm desenvolvido no Brasil nos últimos 10 anos estão claramente a dar frutos. Os mais recentes exemplos são a 7º edição dos Vinhos de Portugal 2020 e o Festival Vinhos de Portugal.

Como se pode observar nos gráficos em cima, os consumidores brasileiros regulares de vinho colocam Portugal no mesmo “saco” que Itália e França, com associações de alto valor acrescentado como “premium”, “ocasiões especiais” e “para celebrar”.

Rodrigo 2 180x180 - Brasil: O mais importante activo dos vinhos portugueses lá fora?“Portugal goza de um prestigio e imagem no Brasil extremamente positiva porque está no Velho Mundo o que é aspiracional. E ao mesmo tempo há uma simpatia que antes não havia devido ao recente fenómeno de turismo e de muitos Brasileiros se mudando para Portugal para viver. Há uma afinidade cultural que traz muito valor ao made in Portugal, nomeadamente ao vinho Português, cada vez mais relevante no mercado brasileiro. O consumidor do Brasil gosta de comprar valor, e Portugal oferece esse valor. Mas há um risco de Portugal não aproveitar bem essa onda, e adotar uma estratégia oportunista de low price para competir com os produtores vizinhos sulamericanos e o próprio Brasil – Portugal não deve seguir esse caminho. Portugal deve continuar a oferecer produtos que correspondem à qualidade associada ao país.”  Rodrigo Lanari – Wine Intelligence Brazil country manager 

Portugal e as instituições portuguesas deverão continuar o excelente trabalho que têm vindo a fazer centrado na criação de valor, exactamente como fazem os vinhos Franceses ou Italianos por este mundo fora, evitando perder-se em guerras de preço com os seus concorrentes, como fizerem o Chile e a Austrália, durante tantos anos em tantos mercados, estando agora presos a um posicionamento baixo, na cabeça dos consumidores.

Luis 1 180x180 - Brasil: O mais importante activo dos vinhos portugueses lá fora?-Luis Osorio

Luis@wineintelligence.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply